Diretor tricolor nega salários atrasados e detalha valores devidos a Ávine | Paulo Afonso Tem

Diretor tricolor nega salários atrasados e detalha valores devidos a Ávine

As reclamações do empresário de Ávine, Oldegard Filho, acerca de salários atrasados e outras dívidas do Bahia com o jogador não ficaram muito tempo sem resposta. Nesta terça-feira, em entrevista ao GE, o diretor-financeiro do Tricolor, Reub Celestino, negou que o lateral tenha três meses de vencimentos em atraso. O dirigente confirmou que o atleta tem uma quantia a receber, assim como vários outros funcionários do clube, que está em situação financeira delicada.

Ávine - Bahia (Foto: Divulgação / Esporte Clube Bahia)  Diretor tricolor nega salários atrasados e detalha valores devidos a Ávine avine treinoDiretor diz que Bahia não deve três salários para Ávine (Foto: Divulgação / Esporte Clube Bahia)

– O Bahia deve salário a todo mundo, aliás, como todo time do Brasil. O Bahia é um time falido, assim nos foi entregue. Tentamos resolver a situação como um todo nesses dois meses passados após a posse do presidente Fernando Schmidt. Mas a situação é dificílima. Principalmente pelo estoque de dívidas que nos deixaram. As receitas foram antecipadas. Dito isso, vou ao caso do Ávine: assumimos em setembro, e, nesses dois meses e sete dias, fiz nove pagamentos para ele. Paguei dois meses de salários atrasados, despesas médicas, direitos de imagem, pensão alimentícia de uma ex-mulher dele. Tudo deu um total de R$ 133 mil. O clube ainda tem quatro dívidas com ele, mas não procede com os três meses de salários atrasados que ele está cobrando – disse.

Reub afirma que parte da dívida do Bahia com Ávine foi herdada da gestão de Marcelo Guimarães Filho. O dirigente diz que o clube ainda deve direitos de imagem ao lateral, que até já antecipou uma quantia referente ao benefício de agosto.

– O Bahia deve quatro pagamentos vencidos. Dois deles de antes de entrarmos. Um deles é o direito de imagem de agosto. Teve uma despesa médica de agosto também. Ele tem atrasada a imagem de agosto, a imagem de outubro, como todos têm, e o salário de outubro. A imagem de agosto é de R$ 46 mil. Adiantei R$ 5 mil para a mulher dele sair de São Paulo. Ele decidiu vir de São Paulo de carro, comunicou ao Bahia, que fez os depósitos para a mulher dele voltar e pagar as coisas por lá- contou.

Além de Ávine, o Bahia precisa efetuar um pagamento para o médico Moisés Cohen, responsável pela cirurgia realizada no último mês de agosto no joelho do lateral.

– Devemos uma quantia ao médico Moisés Cohen, bastante educado, por sinal. O valor é de R$ 44 mil. Estávamos prontos para pagar. Contava que entraria uma receita, que não entrou. Voltamos a conversar com ele. No sábado, falei com Anderson Barros [diretor de futebol do clube baiano], e as expectativas eram de que pagaria nesta segunda-feira. Agora vem a informação de que o dinheiro pode entrar de hoje para a amanhã. Espero poder pagar o quanto antes – declarou Reub Celestino.

O diretor-financeiro tricolor ressalta que todos os jogadores e até funcionários do Bahia estão com salários atrasados e culpa o desequilíbrio financeiro encontrado no clube pela nova gestão.

– Queria pagar essas dívidas na semana passada. Ia pagar não somente os direitos de imagem, mas os salários de outubro. Só que uma possível fonte de receita falhou. Tenho várias despesas para pagar. Esse rapaz [Oldegard Filho] está provocando tumulto com outros interesses. É a renovação que ele quer? Então que fale com o departamento de futebol. O financeiro é muito transparente. O Bahia não recebe receitas. É quebrado financeiramente. O Bahia tem uma folha mensal de R$ 4,2 milhões, com uma receita de um milhão. Não dá para fazer milagres. Estamos atrasados, mas estamos em boas condições para um clube brasileiro. A prática no Bahia era a de pagar o mês vencido no dia 25 do mês seguinte. Nós ainda não conseguimos desfazer essa prática para legalizar tudo. Mas vamos fazer isso no próximo ano. Estamos com nove dias de atraso para pagar o mês de outubro. Esse rapaz [Oldegard Filho] está falando coisas absurdas. A única coisa que ele fala de verdade é que chamo ele de ‘grosseiro’ – alfinetou o dirigente tricolor.

Ávine Bahia (Foto: Divulgação / EC Bahia)  Diretor tricolor nega salários atrasados e detalha valores devidos a Ávine avine bahiaÁvine passa por recondicionamento físico no Bahia (Foto: Divulgação / EC Bahia)

 

Apesar da rusga com o empresário de Ávine, Reub Celestino não acredita que as declarações dadas pelo agente atrapalhem no processo de renovação de contrato com o lateral.

– Não tem essa história de dificultar as coisas por causa do empresário. Não tem nada disso. Uma coisa que a diretoria hoje tem é decência. Isso sobra. Jamais fariam isso. Ainda mais por se tratar de uma estrela da torcida do Bahia – finalizou.

01ENTENDA O CASO

 

Nesta tarde, em entrevista ao GE, o empresário de Ávine, Oldegard Filho, fez duras críticas ao Bahia e afirmou que o clube devia três meses de salário ao lateral. O agente disse também que o jogador precisou pagar o tratamento feito em São Paulo do próprio bolso e que estaria passando por dificuldades.

– Pela manhã, coloquei no meu Twitter que o Ávine está passando dificuldades. E não é mentira. Tem muita gente me ligando. Decidi falar o que é a verdade, apesar de oficialmente o Bahia negar tudo. Devem três meses de salários para ele – afirmou o empresário.

O empresário alega ainda que o lateral está ‘abandonado’ apenas por estar machucado. Para Oldegard, se Ávine estivesse em plenas condições físicas de disputar uma partida, o Bahia já teria renovado o contrato e pago os salários atrasados.

– Tem os salários de agosto, outubro e novembro em atraso. Se ele estivesse jogando, produzindo, não estaria nessa situação. O Bahia está relegando ele a um terceiro plano. Venho cobrando isso pessoalmente, por telefone e por e-mail. No último contato, o Reub Celestino [diretor administrativo financeiro] me chamou de grosseiro, que não queria nem me conhecer. Estou vendo 31 de dezembro chegar, e o jogador ficar sem contrato. Estou colocando abertamente para a torcida. Meu caso com o Bahia não é político. Não quero misturar isso. Eles estão mentindo dizendo que estou criando dificuldade para renovar. Convoco quem quiser para ver quem está criando dificuldade – desafiou Oldegard, que era membro do Conselho Deliberativo na gestão Marcelo Guimarães Filho.

Pelo Twitter, o lateral Ávine confirmou que as negociações para renovação de contrato estão paralisadas. O atleta diz que o clube não tem a intenção de tratar do assunto neste momento e afirma que não quer ‘tumultuar’ o ambiente do Tricolor.

– Não querem renovar o meu contrato agora. Desde já, agradeço a compreensão, mas não quero ficar tocando nesse assunto, porque está mexendo muito comigo. Não estou querendo tumultuar, só quero esclarecer, pois sabem o amor que tenho pelo clube. Jamais estaria aqui falando se fosse mentira – postou Ávine no Twitter.

Formado nas categorias de base do Bahia, o lateral foi promovido ao elenco profissional tricolor em 2006, quando o time disputava a Série C do Campeonato Brasileiro. Em 2009, o jogador foi emprestado ao Santo André, mas retornou ao clube baiano e ajudou o Esquadrão no retorno para a elite do futebol nacional.

Em 2011, Ávine precisou passar por uma cirurgia no joelho. No ano seguinte, foi submetido a uma artroscopia no local. Desde então, ele luta para se recuperar de uma lesão na cartilagem do joelho. Por duas vezes, o atleta foi liberado pelos médicos do clube para voltar aos treinamentos. Em fevereiro deste ano, o ala chegou a treinar com o restante do elenco e até cogitou a possibilidade de mudar de posição para voltar a atuar em alto nível, mas sequer conseguiu entrar em campo para disputar uma partida oficial. No último mês de agosto, Ávine viajou para São Paulo, onde passou por mais uma cirurgia no joelho. O retorno para Salvador ocorreu na última semana, quando o ala iniciou os treinos físicos no centro de treinamento do Bahia.

Fonte Globo Esporte


Compartilhe esse artigo com seus amigos:

Curta-nos


Deixe uma resposta