Governo fecha acordo com empresas aéreas para transporte de órgãos | Paulo Afonso Tem

Governo fecha acordo com empresas aéreas para transporte de órgãos

Governo fecha acordo com empresas aéreas para transporte de órgãos  Governo fecha acordo com empresas aéreas para transporte de órgãos Governo fecha acordo com empresas a  reas para transporte de   rg  osA partir de agora, órgãos para transplantes terão prioridade em voos de cinco companhias aéreas. TAM, Grupo Gol, Azul, Oceanair e Passaredo assinam, nesta quarta-feira (4), um acordo com o governo federal em que se comprometem a transportar gratuitamente – e com preferência – os órgãos e as equipes médicas envolvidas nos transplantes.

Em casos de voos lotados, as empresas poderão conversar com seus passageiros e pedir que eles, voluntariamente, abram mão de seu lugar em favor do órgão e embarquem no próximo voo.

O termo de cooperação técnica – que deve ser assinado às 19h pelas empresas, pelos Ministérios da Saúde e da Defesa, pela Secretaria de Aviação Civil e pela Força Aérea Brasileira (FAB) – deve aumentar em 10% o número de órgãos transportados, de acordo com o Ministério da Saúde.

O acordo também prevê que um representante da Central Nacional de Transplante fique 24 horas por dia no Centro de Gerenciamento de Navegação Aérea (CGNA), para ter acesso a informações de voos e fazer o planejamento logístico do transporte dos órgãos. Serão oito enfermeiros que vão se revezar no monitoramento de informações como voos disponíveis e conexões, condições meteorológicas e aeroportos em reforma, por exemplo. Segundo o Ministério da Saúde, 951 órgãos e 2.563 tecidos foram transportados em 2012, 14,6% do total de transplantes realizados no período. Em alguns estados, principalmente os do Norte, até 60% dos transplantes necessitam de logística aérea. Do início do ano até setembro, o número mais que dobrou, alcançando 3.514 transplantes.

Desde 2009, algumas empresas aéreas já transportavam voluntariamente órgãos para transplante. Agora, o acordo envolve mais empresas e determina a prioridade desse tipo de transporte.

Os oito enfermeiros já começam a operar neste fim de semana. “A participação permanente desses oito enfermeiros vai permitir o agendamento mais rápido para facilitar o acesso desses órgãos ao receptor final”, afirmou o ministro da Saúde, Alexandre Padilha.

Voos lotados
Em casos de voos lotados, as empresas poderão conversar com seus passageiros e pedir que eles, voluntariamente, abram mão de seu lugar em favor do órgão e embarquem no próximo voo.  Durante o processo de embarque, comissários de bordo irão abordar o passageiro com uma notificação do Ministério da Saúde solicitando que ele voluntariamente possa remanejar o horário do voo.

“Nenhum passageiro será obrigado a aceitar não embarcar e ceder o lugar para o órgão. Se ninguém se disponibilizar, vamos realocar aquele órgão em outro voo”, afirmou o ministro. “A gente sempre conta com o espírito de solidariedade das pessoas.”

“Estamos formalizando uma prática que já existe e agora temos regras bem claras, não só para as companhias, mas, sobretudo, para os funcionários que irão abordar os passageiros com a solicitação voluntária”, disse o ministro.

Para o presidente da Associação Brasileira de Empresas Aéreas, Eduardo Sanovicz, com o acordo, muitas vidas serão salvas. “Aderimos a esse acordo porque entendemos que o Brasil constrói um maior sistema público de transplantes”, afirmou. “Entendemos que além de transportar pessoas e cargas, passamos a atuar no sentido de garantir que muitas vidas possam ser salvas.” Segundo Sanovicz, as empresas que assinaram o acordo representam 99% da aviação brasileira.

Fonte Bem Estar


Compartilhe esse artigo com seus amigos:

Curta-nos


Deixe uma resposta