Família e amigos se unem na emoção no adeus a Domingos Montagner
familia-e-amigos-se-unem-na-emocao-no-adeus-a-domingos-montagner

Família e amigos se unem na emoção no adeus a Domingos Montagner

Numa cerimônia rápida, mas cheia de emoção, foi sepultado neste sábado (17), em São Paulo, o corpo do ator Domingos Montagner. Desde bem cedo, no velório, o sábado foi de homenagens de parentes, amigos e fãs.
Teatro Fernando Torres, no Tatuapé, bairro de origem de Domingos Montagner. O saguão de entrada foi o cenário dos abraços demorados. Da emoção inconformada de quem compartilhou cada fase da vida do ator.

“Homem de circo, de teatro, mas que passeou pelo cinema e pela televisão como se fosse a casa dele, né? Todas as tribos falam a mesma coisa do Domingos: gentil, amoroso, simples, humano, e o Brasil inteiro está chorando a morte dele”, disse a atriz Ingrid Guimarães.

E houve mesmo muita emoção também fora do teatro. “Eu não consigo nem acreditar até agora que ele foi embora porque a gente conhece ele de dentro de casa”, afirmou a fã Cleusa Godoy da Costa.

“Eu achava que ele era muito intenso, tudo o que ele fazia parecia muito real. Transmitia aquela emoção, que era uma coisa impressionante”, disse Raquel Noronha, outra fã. O velório começou antes das 8h e foi reservado aos parentes e amigos. A mulher de Domingos chegou amparada. Os três filhos, de 13, 9 e 5 anos, não participaram nem do velório nem do enterro por uma decisão da família.

 O irmão, Francisco, recebeu e retribuiu muito carinho. O diretor-geral da Rede Globo, Carlos Henrique Schroder, também esteve no velório, assim como colegas de Montagner em “Velho Chico”.

“É difícil para a gente acreditar. É muito difícil para todos do elenco, que estavam com ele de manhã. Quase todo dia nós estávamos juntos. Nos últimos oito meses. A gente tem que louvar e exaltar este grande artista que a gente se despede hoje da matéria dele”, disse a atriz Dira Paes.

“Tem que lembra aquilo que o Domingos sempre foi. Aquele sorriso, sempre dele. Sempre o sorriso, sempre a alegria”, lembrou a atriz Selma Egrei. Camila Pitanga foi com o namorado. Em “Velho Chico”, ela interpreta Tereza, par romântico de Santo, personagem de Domingos Montagner. Na quinta-feira (15), numa pausa das gravações em Sergipe, a atriz acompanhou o colega em um mergulho no rio São Francisco. Domingos acabou carregado pela correnteza.

Renato Góes não contracenou com Montagner, mas era um dos colegas mais comovidos. Ele dividiu o mesmo personagem. Fez o Santo jovem, na primeira fase da novela:

“A gente tinha uma ligação de sentir as coisas. Mesmo distante, a gente se falava. Quando eu estava no sertão gravando, ele me dava dicas; quando ele estava no sertão gravando, ele me perguntava coisas da vivência lá. Então sempre foi uma troca muito sincera, muito justa. A gente era um só, sabe? A gente sempre foi um só desde o começo”.

O último ato de Domingos Montagner, em teatro, foi no palco do Teatro Fernando Torres. A pedido da família, ele não foi registrado por nenhuma câmera. Foi íntimo. Parentes, amigos e companheiros de trabalho se reuniram ao redor de um pequeno picadeiro, que foi montado. Uma homenagem ao ator e à primeira grande paixão artística dele, o circo.

Mesmo fora da plateia, foi possível ouvir os aplausos.

“O show tem que continuar. O show tem que continuar e continuaremos por ele, sem dúvida”, disse o irmão Francisco.

Antes do fim do velório, Francisco Montagner foi até a porta do teatro agradecer a presença dos fãs. Às 11h, o carro funerário deixou o teatro rumo ao cemitério.

Enterro rápido
O carro com o corpo do ator Domingos Montagner percorreu as ruas do bairro do Tatuapé, na Zona Leste da cidade. Foi um trajeto curto, de menos de dez minutos, até o cemitério da Quarta Parada, um dos mais antigos de São Paulo, onde está o jazigo da família do artista.

Muitas pessoas aguardavam do lado de fora para se despedir de Domingos. Mas a admiração não era só profissional.

“Eu admirava muito ele, a pessoa humilde, a pessoa batalhadora que ele era”, disse um fã. “Muito carismático, se dava com todo mundo. Talentoso”, afirmou uma admiradora. A área próxima ao jazigo foi isolada para que os parentes e amigos pudessem se despedir com calma.

O corredor ficou cheio de gente. O irmão de Domingos, Francisco Montagner, ajudou a carregar o caixão e se emocionou muito. As atrizes Dira Paes, Débora Bloch, Marco Rica, Marcius Melhem, Marisa Orth e Nathália Timberg também foram ao cemitério.

No momento em que o caixão foi colocado no jazigo, mais emoção: uma última salva de palmas para o artista.

A mulher de Domingos, a produtora Luciana Lima, foi muito abraçada e amparada. No final, um grupo se uni, deu as mãos, fez uma espécie de corrente e aplaudiu mais uma vez. Foi uma cerimônia rápida. O enterro terminou pouco depois do meio-dia.  Apenas alguns parentes e amigos mais próximos continuaram perto do jazigo da família do ator Domingos Montagner.

Enquanto isso, fãs que entraram no cemitério esperavam a liberação para prestar uma última homenagem. Não foi preciso aguardar muito. Por volta das 13h, o acesso foi autorizado. Os fãs rezaram e tiraram fotos. Uma retribuição a tanta emoção que Domingos Montagner levou para a casa dos brasileiros.

“Para mim, de qualquer forma, valeu. Deu para me despedir, mesmo à distância fazer uma oração porque foi uma grande perda mesmo”, diz a fã.

Fonte Jornal Nacional


Compartilhe esse artigo com seus amigos:

Curta-nos


Deixe uma resposta