STF mantém o Sport Recife como único campeão brasileiro de 1987
STF mantém o Sport Recife como único campeão brasileiro de 1987

STF mantém o Sport Recife como único campeão brasileiro de 1987

O Supremo Tribunal Federal decidiu que o Sport Recife é o campeão brasileiro de 1987.

Três a um. Foi o resultado da votação na Primeira Turma do STF.

O relator do caso, ministro Marco Aurélio Mello, rejeitou o recurso do Flamengo, que reivindicava o título e foi acompanhado por Alexandre de Moraes e Rosa Weber.

O ministro Luiz Fux é pai de Rodrigo Fux, advogado do Flamengo, e se declarou impedido de participar do julgamento.

O único voto contrário ao do relator foi o do ministro Luís Roberto Barroso. Para ele, os dois clubes deveriam ser declarados campeões daquele ano.

A disputa teve origem em 1987, quando a CBF declarou que não tinha dinheiro para realizar o campeonato brasileiro. Um grupo formado por 13 grandes clubes do país decidiu então organizar a competição, que chamaram de Copa União. Os clubes que ficariam de fora recorreram à CBF.

Clube dos 13 e CBF se reuniram e definiram que o campeonato brasileiro de 87 teria dois grupos com 16 equipes cada. O módulo verde, do qual o Flamengo foi campeão, e o amarelo, vencido pelo Sport.

O regulamento previa um quadrangular com os vencedores e vices dos dois módulos. Mas, antes da disputa, o Clube dos 13 anunciou que não reconhecia esse cruzamento. Flamengo e Inter não disputaram.

Com isso, na final, o Sport venceu o Guarani e foi declarado campeão pela CBF.

Em 1999, uma decisão da Justiça Federal de Pernambuco confirmou o Sport como único campeão.

Mas em 2011, uma resolução da CBF declarou Sport e Flamengo como campeões, o que serviu de base para o recurso do clube carioca na Justiça.

“A decisão do presidente Ricardo Terra Teixeira quanto a ser o Flamengo também campeão ela data de 12 anos após o trânsito em julgado”, disse o ministro Marco Aurélio.

“Para a torcida, o simbolismo desse título é grande, principalmente na Região Nordeste de onde viemos com todos os sacrifícios”, disse o presidente jurídico do Sport, Leucio Lemos.

“O Flamengo respeita profundamente as decisões do Judiciário, sobretudo do Supremo Tribunal Federal. Vai aguardar a publicação do acórdão da decisão para averiguar juridicamente o que ainda pode ser feito”, afirmou o vice-presidente jurídico do Flamengo, Flávio Willeman.

Fonte Jornal Nacional


Compartilhe esse artigo com seus amigos:

Curta-nos


Deixe uma resposta