Atente-se! Esses erros podem fazer o bebê demorar mais para comer sozinho
Baby licking bowl

Atente-se! Esses erros podem fazer o bebê demorar mais para comer sozinho

CADA FASE DA INFÂNCIA É UMA DESCOBERTA, que deve ser acompanhada de pertinho pelos genitores. “Desde cedo, os BEBÊS APRENDEM A LEVAR AS MÃOS ATÉ A BOCA E EXPLORAR OS OBJETOS que estão ao seu alcance”, diz o Dr. André Dutra, pediatra da Pro Matre Paulista. “Isso também se aplica aos alimentos”.

Segundo ele, somente entre os 7 e 11 meses, quando se desenvolve melhor o tônus do tronco, e se consegue organizar os movimentos dos braços e mãos, é que os pequenos são capazes de manipular os ingredientes e de COMER DE FORMA AUTÔNOMA. Alguns “erros”, no entanto, podem dificultar esse andamento, e prolongá-lo ainda mais. Descubra abaixo quais são:

OLHA O AVIÃOZINHO… E SEM PEGAR NO TALHER

Crianças podem participar do processo de alimentação para que desenvolvam por si próprias a coordenação motora FOTO: thinkstock Atente-se! Esses erros podem fazer o bebê demorar mais para comer sozinho Atente-se! Esses erros podem fazer o bebê demorar mais para comer sozinho comer sozinho2

CRIANÇAS PODEM PARTICIPAR DO PROCESSO DE ALIMENTAÇÃO PARA QUE DESENVOLVAM POR SI PRÓPRIAS A COORDENAÇÃO MOTORA FOTO: THINKSTOCK

Embora a tendência seja de o pequeno querer agarrar e segurar a colher na hora de receber a comida, o mais adequado, de acordo com o especialista, é não proibir sua ação. “A habilidade de utilizar os utensílios vem posteriormente, geralmente após um ano de idade, mas isso não impede que você o incentive e o deixe participar”, fala. “Ele pode ter um talher enquanto você se utiliza de outro”.

A PRESSA É A INIMIGA DA PERFEIÇÃO

Muitas vezes, os responsáveis estão com tanta pressa (ou impaciência), que decidem acelerar o procedimento, a fim de que ele termine logo. “As REFEIÇÕES SÃO MOMENTOS DE INTERAÇÃO ENTRE PAIS E FILHOS, os quais devem ser calmos e tranquilos, SEM DISTRAÇÕES EXTERNAS COMO DESENHOS E BRINQUEDOS”, o Dr. Dutra comenta. “Os adultos devem RESPEITAR O TEMPO DE CADA CRIANÇA e a vontade de comer de cada uma. Forçar o processo não é uma boa estratégia”, avisa. A atitude pode desenvolver certa dependência, e maior demora em obter a coordenação necessária.

TIRA A MÃOZINHA, POR FAVOR!

Além do mais, o pediatra coloca que a alimentação é uma fonte de prazer e envolve uma COMPLEXA INTERAÇÃO SENSORIAL. “Com estímulos visuais, olfativos e táteis”, reforça. “A interação com o alimento é parte importante de saber como comer”. Vale, inclusive, consentir que se brinque e FAÇA A “MAIOR BAGUNÇA” COM O QUE ESTIVER NO PRATO. Os mais velhos, de todo jeito, precisam guiar a tarefa, para que a ingestão dos nutrientes seja adequada.

NÃO MONTAR UM AMBIENTE CONVIDATIVO

A partir de um ano os pequenos têm maior capacidade de segurarem os talheres. Ainda sim, é preciso direcionamento dos pais na hora de comer FOTO: thinkstock Atente-se! Esses erros podem fazer o bebê demorar mais para comer sozinho Atente-se! Esses erros podem fazer o bebê demorar mais para comer sozinho comer sozinho3

A PARTIR DE UM ANO OS PEQUENOS TÊM MAIOR CAPACIDADE DE SEGURAREM OS TALHERES. AINDA SIM, É PRECISO DIRECIONAMENTO DOS PAIS NA HORA DE COMER FOTO: THINKSTOCK

Para o Dr. Dutra, as inspirações visuais e um ambiente agradável desempenham papéis fundamentais para despertar o interesse e a curiosidade à mesa. PRATINHOS COLORIDOS com uma montagem divertida e variada de elementos, por exemplo, funcionam como atrativo. “Oferecer aqueles de fácil manipulação e alcance irão ajudar”, ele pontua.

INSISTIR NA SOPA E NA PAPINHA POR UM TEMPO ALÉM DA CONTA

“As escolhas devem ser baseadas na capacidade do pequeno em manuseá-las e trazê-las para boca SEM RISCO DE ENGASGO E SUFOCAMENTO. Inicialmente, devem ser dados pedaços menores e macios; com a evolução, deve progredir em relação ao tamanho e consistência”, reforça. “Ainda é necessário preocupar-se com a diversidade, CONSIDERANDO O BALANÇO ENTRE PROTEÍNAS, CARBOIDRATOS, LEGUMES E VERDURAS”.

NÃO SERVIR DE EXEMPLO

“A ALIMENTAÇÃO É UM COMPORTAMENTO SOCIAL, de união familiar”, o profissional enfatiza. “Os menores, assim, captam o que é para fazer por imitação. “A participação dos pais é essencial; a conduta deles serve de MODELO PARA OS SEUS FILHOS“.

Fonte DaquiDali


Compartilhe esse artigo com seus amigos:

Curta-nos


Deixe uma resposta