Saiba como o medo de perder o outro pode atrapalhar o relacionamento
relacionamento

Saiba como o medo de perder o outro pode atrapalhar o relacionamento

Quando você gosta muito de algo, naturalmente tem medo de perdê-lo. Se isso vale, por exemplo, para um objeto de estimação com valor afetivo ou para um bichinho, imagina para a pessoa amada? O que a Ciência acaba de descobrir é que, só de pensar no fim da relação, ele pode se concretizar. Ficou passada?

A conclusão vem de um estudo realizado pela Universidade Vita-Salute San Raffaele, na Itália, e publicado no jornal Motivation and Emotion. Os pesquisadores Simona Sciara e Giuseppe Pantaleo, selecionaram  104 voluntários comprometidos, e analisaram informações sobre cada um deles, além do estado e de como funcionavam seus relacionamentos.

relacionamento 1 Saiba como o medo de perder o outro pode atrapalhar o relacionamento Saiba como o medo de perder o outro pode atrapalhar o relacionamento relacionamento 1

Divididos, a um grupo foi pedido que pensasse na possibilidade de um término. Como isso não é tão fácil para a maioria das pessoas, elas tiveram uma ajudinha, ou seja, sem perceber passaram por técnicas de manipulação que traziam dados e estatísticas sobre relacionamentos fracassados de modo geral e chances da sua história mesma ir para o buraco. Em seguida, eles precisaram responder como se sentiam em relação ao outro e o quanto estavam comprometidos com a relação.

O resultado? Quase que como um mecanismo de defesa, a parte que foi obrigada a vislumbrar o fim do seu romance se mostrou bem menos romântica e comprometida. Por outro lado, o grupo que não ouviu nada estava esbanjando paixão e disposição em continuar bem feliz com sua alam gêmea. Segundo Sciara, “isso mostra que, diante de um risco ‘muito alto’ de terminar o relacionamento, os participantes claramente reduziram a intensidade de seus sentimentos positivos em relação ao parceiro romântico”. É exatamente essa redução do comprometimento que pode levar ao fim. Agora que você já sabe disso, pensamentos positivos, hein?

Fonte: DAQUIDALI


Compartilhe esse artigo com seus amigos:

Curta-nos


Deixe uma resposta