Preços do petróleo atingem menor nível desde 1999

  Quarta, 22 de abril de 2020
  G1    |      

    Os preços internacionais do petróleo operam novamente em queda nesta quarta-feira (22), com o barril de Brent chegando a desabar para menos de US$ 16, tocando o menor nível desde 1999, com o mercado inundado por excesso de oferta como resultado das consequências econômicas do coronavírus, que destruiu a demanda por combustíveis.

    O petróleo Brent recuava 0,05 dólar, ou 0,26%, a US$ 19,28 por barril, às 8h48 (horário de Brasília). O petróleo dos Estados Unidos caía 0,61 dólar, ou 5,27%, a US$ 10,96 por barril.

    Mais cedo, o Brent tocou US$ 15,98 por barril, menor nível desde junho de 1999. Já o barril WTI chegou a perder 8,04%, caindo a US$ 10,76.

    Na terça-feira, os contratos futuros do Brent para entrega em junho recuaram 24%, para US$ 19,33 por barril, no menor valor desde fevereiro de 2002. Já o petróleo dos EUA caiu 43%, a US$ 11,57.

    Poucos compradores; aumento das reservas

    A sobreoferta tem crescido desde que a Opep+, liderada por Arábia Saudita e Rússia, falhou em prorrogar cortes de produção no mês passado. A Opep+ chegou a um acordo para novos cortes neste mês, mas medidas de isolamento de governos para conter a pandemia cortaram ainda mais a demanda.

    O contrato de barril de WTI para entrega expirou nesta terça-feira (21), o que significou que aqueles que o assinaram tiveram de encontrar compradores físicos. Com o aumento das reservas nos Estados Unidos nas últimas semanas, os produtores foram obrigados a baixar o preço para fazer essa conta fechar, provocando o colapso dos preços na segunda -- o contrato mais próximo do vencimento nos EUA caiu para território negativo pela primeira vez em todos os tempos na segunda-feira.

    Na semana passada, a Administração de Informações sobre Energia dos EUA informou que as reservas de petróleo subiram 19,25 milhões de barris, enquanto a demanda recuou 30%.

    Mercado pressionado

    Embora países produtores tenham concordado em reduzir bombeamento e as maiores petroleiras do mundo também estejam diminuindo produção, os cortes não serão rápidos o suficiente para evitar problemas nas próximas semanas.

    "O mercado de petróleo está profundamente encrencado e é pouco provável que saia desse mal-estar no curto prazo", disse Stephen Brennock, da corretora PVM. "A demanda está baixa, a oferta está elevada e os estoques estão cheios."

    O mercado de petróleo passou nesta semana por alguns dos momentos mais selvagens da história das negociações. "Estejam preparados para mais surpresas nesse mercado quebrado do petróleo", disse o chefe de mercados de petróleo da Rystad Energy, Bjornar Tonhaugen.

    O Brent chegou agora a níveis tão baixos quanto vistos quando a Opep também lutava contra um excesso no mercado e havia preocupação entre empresas e consumidores -- na época dos temores relacionados ao "bug do milênio", que poderia afetar computadores na virada do século.

Nossos parceiros
Nossos parceiros
Nossos parceiros
SOBRE O SITE PAULO AFONSO | TEM

O site pauloafonsotem é formado por uma ótima equipe de colaboradores que fazem o site andar, deixando o mesmo sempre atualizado com notícias de qualidade para orgulhar cada vez mais todos os nossos internautas! Desde 2010 trazendo conteúdo e informação para você.
QUER ANUNCIAR?

Entre em contato, e faça a sua divulgação conosco! "QUEM NÃO É VISTO NÃO É LEMBRADO" Telefone: 75-98845-4011 | 75-99227-3793 ou se preferir E-mail: pauloafonsotem@hotmail.com!
PREVISÃO DO TEMPO

RECENTES POSTS

Todos os direitos reservados - Desenvolvimento: Ewerton Miranda